Dicas simples, mas importantes, na hora de dirigir um modelo/cliente

No Gravatar

Estava assistindo um vídeo e a fotógrafa que estava ministrando o “mini-curso” falou algumas coisas que sempre levamos em consideração durante um ensaio, muitas das dicas aprendemos em cursos e oficinas… outras aprendemos com amigos… outras em livros de psicologia e comportamento (sim, um fotógrafo não é aquele que apenas aperta um botão, ele deve se dedicar a diversas áreas afins, não estou dizendo que deva fazer uma faculdade de psicologia, mas ler alguns livros e assistir algumas palestras farão muito bem) e algumas aprendemos com a experiencia do dia-a-dia, para terem uma ideia, no momento estou lendo um livro sobre Gestalt.

Enfim, aqui vão algumas dicas 🙂

Antes de começarmos, durante uma palestra do Toni Garrido que assisti recentemente, ele citou como sendo a coisa mais importante na hora de fotografar é ter consciência que quem manda no estúdio é você! Tem que chegar no estúdio falando “Sou o melhor fotógrafo do mundo” e acreditar nisso, pois se você entrar no estúdio, e começar o ensaio se colocando abaixo de qualquer pessoa no set, seja modelo, produtor, maquiador ou qualquer outro profissional, quem irá dirigir as suas fotos será esta pessoa e não você!

Continue a ler

Próximo workshop: Direção de Modelos – 29/01/2011

No Gravatar

Boa tarde meus queridos!

É com enorme prazer que estou postando mais um Workshop para vocês!

Abriremos 2011 em grande estilo!

Desta vez, nosso Workshop será de [b][u]DIREÇÃO DE MODELOS[/u][/b].

O mesmo será feito no estúdio e terá como instrutor nosso querido Ricardo Galvão.

Acompanhem no Post do Estúdio!

A Sopa de letrinhas da Nikon

No Gravatar

Oi Pessoal,

Navegando no Clube FotoRio, o colega Adriano Cardozo (Obrigado 🙂 ) postou sobre a sopa de letrinhas da Nikon eu havia postado anteriormente porém em ingles, e o postado por ele foi extraido do site da Nikon no Brasil, aproveitei entrei no site e copiei tb 🙂

E aqui está o post do site da Nikon Brasil!

letras

Continue a ler

WS de Nu Artistico

No Gravatar

Oi Pessoal!

Inspírado no Post anterior da Lee sobre Nu artistico aproveitei pra deixar a minha contribuição. 😀

Particularmente, acho complicado explicar o que é nu artistico para algumas pessoas, chega a ser engraçado, algumas pessoas acham que nu artistico é a mesma coisa que foto vulgar, e não é! Você pode fazer em um ensaio fotos vulgares e fotos artisticas apenas mudando o seu ângulo de visão… a diferença entre uma foto artistica e uma foto vulgar é muito pouca…

o mais legal do WS é o fato de ele ser todo feito usando a luz do sol! 🙂 nada mais!

Aqui vão algumas fotos que, pessoalmente, considero artisticas.

[b]Pés… [/b]Adorei fazer esta foto, a Dani estava, neste momento, praticamente pendurada na porta.

Daniela
Continue a ler

Mais um HDRzim básico!

No Gravatar

Bom,
para os fans de HDR, resolvi fazer meu segundo HDR da vida! 🙂
mtos dizem q isso não é HDR, mas de acordo com a definição da Wikipédia em português, ou em inglês que possui mais informações (aqui e aqui)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

(Redirecionado de HDR)

High Dynamic Range (HDR, ou Grande Alcance Dinâmico, em português) são métodos utilizados em fotografia, computação gráfica ou processamento de imagens em geral, para alargar o alcance dinâmico (o trecho entre o valor mais escuro e o mais claro de uma imagem). A intenção dessa técnica é representar precisamente nas imagens desde as áreas mais claras, possivelmente iluminadas diretamente por uma fonte de luz até áreas mais escuras, possivelmente em sombras.

Em fotografia, utiliza-se diferentes tempos de exposição numa série de fotografias para atingir-se o grande alcance dinâmico, técnica utilizada pela primeira vez nos anos 40 desenvolvida por Charles Wyckoff, utilizada para tirar fotografias detalhadas de explosões nucleares. Com a ascensão da fotografia digital e software que possibilitasse facilmente a criação de imagens com grande alcance dinâmico, a técnica se popularizou.

Para se visualizar imagens HDR em telas e monitores normais (CRT, LCD, etc), impressão a tinta ou outros métodos de visualização que têm um alcance dinâmico limitado (têm pouca capacidade de mostrar áreas de grande luminosidade ou áreas muito pouco luminosas), utiliza-se a técnica de Tone mapping (mapeamento de tons), em que o grande alcance dinâmico é comprimido numa curta faixa de luminosidade, ou num curto alcance dinâmico. Imagens criadas utilizando-se essa técnica frequentemente criam imagens surreais se um grande alcance dinâmico estiver comprimido num curto alcance dinâmico.

Esta é a vista que se tem do Forte de Copacabana para o mar 🙂

(Também é possivel ter uma vista parecida, de outro angulo, da praia de copacabana nas proximidades do forte)

HDR